ASSESSORIA ON LINE PARA CONTADORES DE HISTÓRIAS

ASSESSORIA À DISTÂNCIA PARA CONTADORES HISTORIAS

Anúncios

12 comentários sobre “ASSESSORIA ON LINE PARA CONTADORES DE HISTÓRIAS

  1. Jussara Maria Serafini Barros 7 de agosto de 2014 / 13:11

    Adorei este espaço!
    Trabalho de uniforme na biblioteca e sempre que conto histórias, sinto-me engessada com esta roupa, parece que não combina. Qual a melhor forma de se vestir para contar histórias? Agradeceria muito se puder me dar uma dica.

  2. Laerte Vargas 7 de agosto de 2014 / 13:21

    Prezada Jussara,
    O ideal é que você use uma roupa mais neutra, uma camiseta ampla que liberte seus movimentos e o mesmo para a calça.
    Sempre procuro lembrar aos contadores que, se existe uma grande vedete nesse momento, ela É a história.
    Caso queira usar pequenos elementos que remetam aos contos, brincos que sejam estrelas, caso seus contos falem delas; um cinto indígena, isso se mesclar contos desta natureza, pode ser… Mas cuidado para não virar uma alegoria que roube a atenção dos ouvintes…
    Abraços calorosos,

  3. Flavia Simoes 23 de março de 2015 / 19:42

    Ola Laerte, eu e uma amiga estamos no processo de um projeto que acontece a partir de historias de livros da literatura infantil brasileira e evoluem para a contacao dessa historia. Estamos em duvida quanto ao direito autoral das historias ou contos. Se usássemos por exemplo a historia de “Marcelo, Marmelo, Martelo” de Ruth Rocha… Você sabe como funcionaria a questão da autorização ou cobrança para execução da historia?

    Desde já agradeço.
    Flavia Simões.

  4. Laerte Vargas 24 de março de 2015 / 21:43

    Flávia,
    O conto autoral é uma obra que implica em pagamento de direitos autorais para o autor e a editora do mesmo, salvo ter entrado em domínio público.
    No Brasil:
    Os direitos autorais (ou direitos de autor) duram por setenta anos contados de 1° de janeiro do ano subsequente ao falecimento do autor. Além das obras em que o prazo de proteção aos direitos excedeu, pertencem ao domínio público também: as de autores falecidos que não tenham deixado sucessores; as de autor desconhecido, ressalvada a proteção legal para os conhecimentos étnicos e tradicionais.(Wikipedia)

    Por conta disso, sempre digo que o repertório do contador de histórias é o conto popular, pois pertence ao mundo.
    Abraços calorosos,

  5. Francinete Sanches 22 de junho de 2015 / 20:33

    Boa tarde Laerte , Gostaria de me tornar uma contadora de historia para poder fazer trabalho voluntário com crianças em creches e hospitais . Qual o melhor caminho a tomar

  6. Laerte Vargas 24 de junho de 2015 / 20:05

    Olá, Francinete.
    O primeiro caminho é, sem dúvida, a formação de um repertório, ainda que ele seja composto por poucas histórias.
    Digo isso, pois muitos pensam, equivocadamente, que o “aprender a contar” vem antes do “contar”.
    Internalize, pelo menos, três a quatro contos populares e comece a contá-los, mesmo que seja só no âmbito familiar.
    O exercício de narrar irá aclarar as reflexões que vêm logo após.
    Boa sorte,

  7. maria josé dias dos santos 31 de julho de 2015 / 21:09

    sou contadora de histórias gostaria de mostrar meu trabalho especialtiadede1@hotmail.com

  8. Laerte Vargas 1 de agosto de 2015 / 11:47

    Olá, Maria José.
    Vc deve procurar instituições onde possa promover sessões de histórias.
    Boa sorte,

  9. Vanessa Gonaçalves 17 de outubro de 2015 / 0:34

    Olá Laerte, como devo proceder para solicitar ao autor de uma história, o direito de torná-la uma contação? Como procedo sobre direitos autorais?

  10. Laerte Vargas 18 de outubro de 2015 / 21:50

    Olá, Vanessa.
    Primeiro, verifique se o autor em pauta está em domínio público: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp
    Se for escritor contemporâneo, você deverá buscar a editora que representá-lo.
    Ou, numa tentativa menos formal, fazer contato direto e expor sua intenção.
    De antemão, aviso que, na maioria das vezes, o processo é complicado.
    Por isso, sempre aconselho a uma formação de repertório sempre calcada nos contos populares.
    Abs,

  11. Juliana 24 de janeiro de 2017 / 12:10

    Que histórias indicaria para contação no início do ano na biblioteca?

  12. Laerte Vargas 2 de fevereiro de 2017 / 18:11

    Juliana, é preciso que você descubra no seu repertório uma história que atenda a um público que só vc conhece, em um espaço em que só vc transita; enfim, existem uma série de fatores que contribuirão para a escolha do conto.
    Abraços calorosos,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s